Sávio Barbosa - Zequinha não renuncia e atrapalha planos de Jatene. 

Categorias

Mais Lidas

Zequinha não renuncia e atrapalha planos de Jatene. 


O “pastor do Diabo”, como Jatene costuma chamar pelas salas palaciana, melou os planos do governador. Zequinha Marinho, pode se tornar um dos homens mais fortes do Pará e procurado nos próximos dias, devido poder se tornar Governador do Estado, devido muito se especular no meio político paraense que Jatene deverá deixar o cargo até o dia 7 de abril, quando encerra o prazo para que ele possa concorrer a algum cargo nas eleições deste ano, mantendo o foro privilegiado e deixando os processos contra ele longe da primeira instância. O plano do governador seria que Zequinha também renunciasse ao cargo, para que o presidente da Assembleia Legislativa, Márcio Miranda do DEM, o escolhido do tucano como sucessor, assumisse o governo para disputar sentado na cadeira do palácio dos despachos.

A decisão de Zequinha foi tomada após uma reunião ontem da executiva estadual do PSC, que acatou a decisão de que o vice-governador não renunciará ao cargo. Então hoje pela redes sociais não se falava outra coisa, mas sim, sobre a nota de Zequinha anunciando que não abre mão do cargo, como quer Jatene. É, como se diz, nem sempre querer é poder, te mexe Jatene, o cerco está se fechando.

》 Veja na íntegra à nota abaixo:

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Sempre fui solícito e colaborativo com todos. Quem me conhece, sabe disso!

Após ouvir exaustivos debates, com a Executiva Estadual e a Executiva Nacional do meu partido, as duas, unanimemente, discordaram da possibilidade de renúncia.

Por uma questão de princípios, quem me conhece sabe que tenho uma linha de conduta, uma palavra, firmeza e um estilo próprio de pensamento e comportamento. Dessa forma, meus amigos, lamento não ter como colaborar com o projeto do governador renunciando ao meu mandato. Não nos furtaremos ao diálogo na construção de qualquer outra alternativa.

Deixo claro que não tenho nada contra ninguém. Só quero continuar tendo condições de andar na rua de cabeça erguida nesse difícil momento da política do Brasil.

ZEQUINHA MARINHO
VICE-GOVERNADOR DO PARÁ