Sávio Barbosa - Construtora culpa antiga gestão da Secut por elevar custo do Parque do Utinga

Categorias

Mais Lidas

Construtora culpa antiga gestão da Secut por elevar custo do Parque do Utinga

Em reunião na tarde desta quinta-feira, 14/02, no Ministério Público Federal, a empresa Paulitec prestou esclarecimentos à comissão de investigação preliminar, instaurada pela Auditoria Geral do Estado, com o objetivo de apurar suspeita de irregularidades na execução das obras do Parque do Utinga, em Belém.

Além do auditor-geral, Giussepp Mendes, que foi acompanhado de assessores jurídicos, auditores e da equipe de obras do órgão, também participaram o procurador da República, Alan Mansur, Bruno Chagas, secretário adjunto de Cultura do Estado, Patrick Mesquita, procurador do Ministério Público de Contas do Estado e  Cláudio Soares, gerente de obras da construtora Paulitec, empresa responsável pela construção do parque.

A auditoria busca respostas para vários questionamentos, como o acréscimo no valor total da obra, orçada inicialmente em quase 36 milhões de reais, mas que teve custo final superior a 50 milhões de reais. Parte dos recursos foram repassados pelo BNDES. Os gastos com o projeto luminotécnico também entrou em pauta. “Analisando o contrato, indentificamos uma  despesa  alta  com luminárias de alto padrão, sendo que já estava previsto que o  Parque do Utinga não teria funcionamento noturno”, disse o auditor-geral.

Em uma visita técnica ocorrida no início do mês, a equipe de obras da AGE identificou sinais de deterioração precoce no Parque do Utinga. As notas ficais dos materiais e equipamentos especificados no projeto já foram solicitados à empresa.

Em sua defesa, a Paulitec atribuiu à antiga gestão da Secult, a responsabilidade pelos atrasos no cronograma da obra, o que teria contribuído  para elevar o custo de execução do empreendimento. Segundo o titular da AGE, com a parceria dos ministérios públicos Federal e de Contas do Estado,  a investigação preliminar será mais ágil e eficiente.