Sávio Barbosa - Crise e troca dura de farpas no Parlamento Castanhalense.

Categorias

Mais Lidas

Crise e troca dura de farpas no Parlamento Castanhalense.

Castanhal passa por um momento complicado, principalmente porque seus representantes no Poder Legislativo Municipal estão travando uma verdadeira batalha entre eles, onde o clima azedou de vez na sessão desta quinta-feira (03). A Câmara de Vereadores está vivendo uma crise como há tempos não se via e, deste a terça-feira (01), as coisas pioraram, pois após a votação de uma denúncia feita pela Associação dos Fiscais de Arrecadação Tributária do Município de Castanhal contra o secretário de Finanças – Sr. Karlan Vaccari, denuncia esta rejeitada e, que agora irá ser analisada pela Comissão de Finanças.

Esta denúncia colocada em votação pelo Presidente Júnior da Micos e que foi rejeitada pela maioria, soou como uma afronta ao povo, onde inúmeras postagens em fanpages e aplicativos de mensagens surgiram nas redes sociais, postagens estas denegrindo a imagem daqueles vereadores que votaram contra o tramite que estava seguindo a denúncia, onde era segundo eles, para primeiro a denúncia ter ido a comissão de finanças, para que, ai sim, houvesse uma investigação mais minuciosa pelos membros da comissão e depois ser colocado em votação para os parlamentares acatarem ou não, o que não aconteceu e desencadeou toda essa problemática.

Na sessão  desta quinta-feira (03) inúmeros vereadores se pronunciaram sobre os ataques recebidos nas redes sociais, inclusive o emedebista Carlinho Bacabal disse que em toda a sua vida pública, nunca teve vergonha de falar que era um politico e, se direcionando sobre um possível assessor da Câmara que estava denegrindo a imagem dos vereadores nas redes sociais, o chamou de vagabundo e disse que ele deveria lagar sua boca com água de bateria, também pediram que a Casa exonerasse o tal servidor, já Rafael Galvão disse que é opositor a Pedro Coelho e também é opositor a todos aqueles vereadores que são base de apoio do Governo Municipal e, se tentarem exonerar o seu assessor irá procurar seus direitos na justiça. Uma coisa é certa, as coisas estão tensas naquela Casa Legislativa, inclusive o assessor do vereador opositor teve sua casa invadida, onde levaram seus equipamentos de trabalho (computador e câmera).

Por Jornalista Marcelo Filho