Sávio Barbosa - O jogo do tudo por tudo de 2018

Categorias

Mais Lidas

O jogo do tudo por tudo de 2018

Na política da oligarquia, tudo se pode, é parace luta, ou melhor é uma luta, mas aí vale tudo só não vale perder a eleição. A chapa dos Barbalhos (tenho que admitir) vai muito bem até o momento, só não podem subir no salto e dizer o já ganhou outra vez antes do tempo. Vamos lá, uma aliança que terá provavelmente o Dep. Federal Lucio Vale do PR como um de seus candidatos ao Senado e na outra vaga eles estão tentando emplacar alguém da região metropolitana de peso. Tudo indica ser alguém do lado dos tucanos, insatisfeitos com a decisão de Jatene.

Já Barbalhão, que não é jogador de entrar em jogadas divididas deve ir para Câmara dos Deputados, uma eleição mais segura, até pra garantir a vaga das ex-mulheres, a Morgado, Elcione e do Priante, porque lá a prioridade é manter a família na jogada..rs Afinal, para o Barbalhão em tempos de lava jato não é seguro ficar sem imunidade parlamentar.

Para o Governo do Estado, Helder joga sozinho, seu maior empecilho são fatores imponderáveis, que não podem ser previsto, relacionados à operação Lava jato, caso esta venha a “acertar” em cheio o PMDB, através das denúncias. Enquanto seus adversários tucanos não tem unidade interna, apenas uma decisão unilateral do grande chefão hoje.

Jatene tenta emplacar o Presidente da Alepa, Márcio Miranda do DEM, bom parlamentar, mas ainda bastante desconhecido do grande eleitorado e tendo uma rejeição predominante na base e por uma grande parte dos tucanos descontentes com a decisão. E com uma dificuldade maior a ira silenciosa de uma base que rende homenagem à nobiliárquia do CiG, mas que na prática flertam com as propostas de arrendamento mercantil do Estado proposta pelos Barbalhos. Sabendo que também nessa jogada dos tucanos, o marqueteiro-mó, faz discordância sobre candidatura desejada de Jatene e apresenta novas propostas com outro candidato, tendo uma visão positiva e mais fácil de levar a campanha dos tucanos para o segundo turno.

O time dos tucanos vive um dilema que já viveu no passado e tem tudo para se repetir. Se Jatene emplacar seu candidato, boa parte de sua base irá com os Barbalhos. Se o candidato não for o da escolha do Jatene, acontecerá o que aconteceu com o Almir Gabriel. Será um quase WO.

Então vamos esperar pra ver esses meses de decisão e surpresas nas mexidas desse tabuleiro, como se diz, preparem-se pra ver até boi voar…rs porque da política do Pará e o que se espera hoje!

  • Júnior Carajas ...
    23 de fevereiro de 2018 at 10:54

    Esse analis político é igual a pesquisa que foi lançada este dias pra tras, onde mais de 70% dos eleitora paraense declarou que não em quem votar….
    Mais segundo a pesquisa o Elder Barbalão foi apontado com uma preferência de 70%
    Isso é ridigual o. ..