Sávio Barbosa - Uma semana em memória dos cabanos.

Categorias

Mais Lidas

Uma semana em memória dos cabanos.

O Governo do Estado, através da Secult inaugurou nesta segunda-feira, 07, a iluminação especial do Memorial da Cabanagem, monumento projetado por Oscar Niemeyer em homenagem a este importante capítulo da história do Pará.

Inaugurado há exatos 34 anos, o memorial está sob a responsabilidade da Prefeitura de Belém, que concedeu à Secretaria de Estado de Cultura autorização para montar a iluminação.

A partir de agora, será elaborado um projeto de revitalização, manutenção e readequação do espaço, para que não fique mais isolado, sem possibilidade de acesso ao público. O resgate da nossa memória faz parte da valorização da nossa cultura, e a cultura é patrimônio de todos nós.

Por isso, o Governo do Estado através da Secult, realiza, de 7 a 13 de janeiro, a programação “Belém Cabana”, uma semana alusiva ao Movimento da Cabanagem (1835-1840), culminando com as comemorações pelos 403 anos de Belém. A programação seguirá nos dias 11 e 12, com atrações em diversos espaços culturais da capital, sempre com entrada franca, e no dia 13, os museus funcionarão em horário especial, das 9h às 17h.

Projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer, o Memorial da Cabanagem foi inaugurado há exatos 34 anos, em 7 de janeiro de 1985, pelo então governador Jader Barbalho, marcando os 150 anos do movimento que ocorreu na Província do Grão-Pará. O Monumento abriga os restos mortais do Cônego Batista Campos e dos cabanos Félix Clemente Malcher, Francisco Pedro Vinagre e Eduardo Angelim. Segundo a concepção de Niemeyer, a rampa elevada em direção ao firmamento representa a grandiosidade da revolta popular, que chegou perto de atingir seus objetivos, e a “fratura” faz alusão à ruptura do processo revolucionário. Único projeto de Niemeyer no Pará, o memorial foi abandonado pelo poder público nos últimos anos, sendo alvo de depredação e vandalismo.  ​

Com a programação “Belém Cabana”, o Governo do Estado pretende reforçar a importância da valorização da memória e da história do Pará.  ​

A programação cultural reúne música, artes cênicas e visuais, visita aos museus, arte de rua e cultura popular, com trabalhos artísticos inspirados na Cabanagem e outras atrações, nos espaços gerenciados pela Secult e também nas ruas da Cidade Velha, cenário da revolução cabana há 184 anos.

No dia 11, sexta-feira, a partir de 19h, no Mercado de São Braz, será realizado o Sarau da Cabanagem, com o Slam Dandaras do Norte. No mesmo dia, no Theatro da Paz, a partir de 19h30, haverá o relançamento do livro “Cabanagem Poemas” e do CD “Poemas da Cabanagem”, do professor Valdecir Palhares, seguido da apresentação do coro infanto-juvenil Vale Música, e finalizando com o espetáculo “Cabanos”, do Grupo Encenação.  ​

No dia 12, sábado, aniversário de Belém, a programação começa às 10h, no Teatro Gasômetro, com apresentação de cortejo afro, seguida de Cordão de Pássaro Colibri, Grupo Madalenas e In Bust teatro com bonecos. Também a partir de 10h, no Museu Histórico do Estado do Pará (MHEP), além da exposição “Saramago”, será exibido durante todo o dia, no salão transversal, o documentário “Cabanagem” (20’). O MHEP também realizará a “Imersão Cabana”, uma visita educativa ao acervo com materiais históricos sobre a Cabanagem. Às 16h, intervenção artística “Amordaça”, de Lo Ojuara.  ​

A partir de 18h, em frente ao MHEP, o público poderá prestigiar vídeo mapping com os VJs Lobo e Luan, intervenção cênica com a atriz Ester Sá, cortejo com o Batalhão da Estrela até o Píer das Onze Janelas, culminando com Batuque Vozes de Fulô e Cobra Venenosa. Nos dias 12 e 13, Museu do Círio, Museu do Presépio, Museu de Arte Sacra e MHEP funcionarão em horário especial, de 9h às 17h.