Sávio Barbosa - Não é culpa da natureza, Zenaldo!

Categorias

Mais Lidas

Não é culpa da natureza, Zenaldo!

Entrevistado ao vivo em um telejornal local exibido pela TV Liberal (afiliada Rede Globo) desta segunda-feira (09), o prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho (PSDB), movimentou a internet entre postagens revoltadas, memes e vídeos relacionados às justificativas dadas por ele para as dezenas de pontos de alagamentos registrados em toda a cidade nos últimos três dias. Por seis vezes em um total de 13 minutos de entrevista, culpou a natureza, falando em “forte problema”, e a “coincidência gravíssima com as marés altas”. E afirmou que vem mais alagamento por aí.

“Eu quero até alertar a população (sic) com a maré alta que vai continuar de maneira crescente esta semana. As marés mais altas ainda (sic) vão vir, quinta (12) e sexta-feira (13) nós teremos marés muito altas. Somando-se com esse período intenso de chuvas recorde, nós teremos, infelizmente, (sic) alagamento.”

Zenaldo Coutinho disse ter criado um comitê de crise e ainda estar em contato com o Ministério do Desenvolvimento Regional para decretar estado de emergência em algumas áreas. “Porque a natureza está sendo mais agressiva do que a previsão anunciou”, disse.

PROMESSAS

O tucano, que encerra seus oito anos de gestão no final de 2020, chegou a se irritar com o apresentador do telejornal duas vezes, insistindo que a emissora só tinha interesse em mostrar “coisa ruim” quando foi questionado sobre os constantes alagamentos na avenida João Paulo II, no bairro do Marco. O jornalista lembrou da campanha que o elegeu em 2012 e o reelegeu em 2016, destacando saneamento como um dos “Três S” das metas de trabalho. E lembrou que apesar da contextualização meteorológica, isso não o eximia de suas funções de administrador público. Enquanto Zenaldo falava em 26 frentes de trabalho em andamento e retomada de obras de macrodrenagem e dragagem de canais em diversos bairros, eram exibidas imagens de ruas completamente alagadas registradas nos últimos dias, com a água engolindo carros e ilhando pedestres, e também questionamentos de internautas.

“NÃO HÁ MILAGRE”

O prefeito falou em solidariedade a todos os atingidos pelos transtornos causados pelos alagamentos. “A gente sofre junto”, declarou. Disse ainda que em dois dias o índice pluviométrico chegou aos 316 milímetros dos 450 milímetros previstos para todo o mês de março. “Não há milagre, o que nós temos é de lutar, e é o que temos feito, um esforço monumental para diminuir os impactos”, disparou.

Sem assumir qualquer erro ou má gestão, falou que em capitais como São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte, quantidades menores de chuvas causam estragos muito maiores, e por fim, culpou o Governo do Estado pela paralisação das obras na Bacia do Tucunduba. “Isso se reflete no Marco, na Jabatiteua, em Canudos e na Terra Firme, que já teriam problemas por serem áreas baixas”, acusou.