Sávio Barbosa - O Pará nas mãos de quem mesmo?

Categorias

Mais Lidas

O Pará nas mãos de quem mesmo?

A situação da violência no Pará e os escândalos de corrupção no governo de Simão Jatene não passam despercebidos. A falta ao emplumado tucano combustível, disposição e coragem política para tocar um governo que se esfacela aos poucos frente aos olhos, incrédulos da população. Mas mesmo assim, candidato à sucessão de Jatene tenta usar o jargão de campanha “mãos limpas” será mesmo? Com um governo atolado em escândalos de corrupção que Miranda e família tem grande participação. Como os pelo menos R$ 30 milhões já foram repassados pelo Governo do Estado e pela Assembleia Legislativa do Pará (Alepa) a duas empresas. Os valores foram pagos entre janeiro de 2004 e 5 de junho deste ano e foram atualizados com base no IPCA-E de março último.

A maior parte desse dinheiro saiu dos cofres do Instituto de Assistência dos Servidores do Estado do Pará (Iasep) e beneficiou o Hospital Francisco Magalhães, de Castanhal, que, segundo a Receita Federal, pertence à Daniela Chaves de Magalhães Miranda, esposa do deputado estadual Márcio Miranda, e a dois filhos do casal: Ygor e Ytalo. Cerca de 70% desses R$ 30 milhões foram pagos a partir de 2011, no governo do tucano Simão Jatene, quando o Iasep passou a ser controlado pelo DEM, o partido do deputado, que preside a Alepa.

Entre 2011 e 2013, o Iasep foi até presidido por Kleber Tayrone Teixeira Miranda, que é irmão de Márcio Miranda. Naqueles três anos, o dinheiro repassado a essas empresas superou tudo o que elas receberam nos seis anos anteriores.

Só o Hospital Francisco Magalhães recebeu do Iasep mais de R$ 19 milhões, segundo números do Portal da Transparência. Desse total, mais de R$ 14 milhões (74%) foram pagos de 2011 para cá. Entre 2011 e 2013, quando o Iasep foi presidido pelo irmão do deputado, os pagamentos ao hospital somaram R$ 5,7 milhões, contra os R$ 4,9 milhões que ele havia recebido entre 2004 e 2010. O fato espanta até porque não se tem notícia de uma explosão de segurados naquele instituto. Entre 2009 e 2017, o número de segurados do Iasep, em todo o estado, cresceu apenas 6,5% (era de 206.508 e foi para 220 mil, segundo dados do próprio Governo).

No entanto, o dinheiro repassado ao hospital aumentou 244%, em valores da época, nesse período. O aumento real (quando o cálculo é feito sobre valores atualizados, ou seja, já retirada a inflação) foi de quase 111%. E quanto mais se amplia a comparação, pior fica: em relação a 2004, o aumento alcançou 881% em 2017 (valores da época), ou 375%, em termos reais.

O quadro é semelhante na Medical Diagnósticos e Assistência Médica Ltda também de Castanhal e que também pertence à mulher e aos filhos de Márcio Miranda e atua na área de consultas médicas e exames. Entre janeiro de 2004 e 5 de junho deste ano, o Iasep pagou à empresa mais de R$ 11,2 milhões, em valores atualizados.

Desse total, mais de R$ 8 milhões (quase 71%) foram pagos de 2011 para cá. Entre 2011 e 2013, quando o irmão do deputado presidiu o Iasep, os pagamentos à empresa somaram mais de R$ 3 milhões, o que quase empata com os R$ 3,3 milhões que ela recebeu nos seis anos anteriores.

Sem falar, nos quase R$ 11 milhões que sumiu, que deveriam ter sido utilizados na construção do novo prédio da ALEPA, dados esses comprovados pelo Sistema Integrado de Administração Financeira para Estados e Municípios (Siafem).

Aí o desconhecido e emplumado candidato, Márcio Miranda do DEM tenta de todas as formas emplacar pregando a política da “boas mãos” e se afastar da figura desgastada do seu padrinho, Jatene e dos escândalos de corrupção que assolam eles. O que Miranda não esqueceu, que Jatene e ele são as mesmas pessoas com a real situação que o governo deles se encontra. Jatene conduzindo o governo de forma inoperante, corrupto e desastroso como Márcio Miranda conduz o parlamento do estado.