Sávio Barbosa - Polícia investiga crime de sonegação fiscal em venda de fazenda ao deputado Éder Mauro.

Categorias

Mais Lidas

Polícia investiga crime de sonegação fiscal em venda de fazenda ao deputado Éder Mauro.

A Polícia Civil do Pará deflagrou nesta quinta-feira (24) uma operação que combate ilegalidades envolvendo sonegação fiscal. Um dos alvos se trata da venda de uma fazenda ao deputado federal Éder Mauro, a qual estaria com o preço subfaturado.

A propriedade, que é avaliada em quase R$ 3 milhões, foi vendida ao deputado por um preço aproximadamente 10 vezes menor do que o valor real. Este fato, levantou a suspeita de sonegação fiscal para a polícia.

Em uma reportagem publicada pelo DOL em novembro de 2020, foi denunciado de que a fazenda pertencia a Cleber Eduardo de Lima Ferreira, preso cinco anos antes na operação “Crashwood”. Ele é suspeito de integrar uma organização criminosa, responsável por fraudar documentos ambientais, o que causou um prejuízo de R$ 400 milhões aos cofres públicos.

Até o momento duas pessoas foram presas, suspeitas de envolvimento direto na sonegação fiscal. A Delegacia Geral da Polícia Civil irá divulgar mais informações em uma coletiva que será realizada ainda hoje.

ENTENDA O CASO 

O deputado Éder mauro, do PSD, pouco fala é sobre a estranha aquisição da fazenda Bênção Divinal, no município de Bujaru (a 196 km de Belém), avaliada em R$ 2,8 milhões e que foi comprada por Éder Mauro por apenas R$ 330 mil no dia 29 de julho de 2020. 

A fazenda em questão era de propriedade de Cleber Eduardo de Lima Ferreira, preso em julho de 2015 na operação “Crashwood”, realizada em parceria pela Polícia Civil do Pará e a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas). A quadrilha é acusada de envolvimento em um esquema que fraudava dados de valores em créditos florestais no Sistema de Comercialização e Transporte de Produtos Florestais (Sisflora). As investigações apontaram um desvio superior a R$ 400 milhões em créditos de produtos florestais e o processo judicial continua em andamento. 

Chama atenção a forma ágil como a fazenda sai da posse de Cleber Eduardo e passa a ser de propriedade do deputado Éder Mauro depois de passar pelas mãos de duas pessoas em transações relâmpagos no prazo de pouco mais de seis meses; entre novembro de 2019 e junho de 2020. O mais curioso é que em depoimento no processo que tramita no Tribunal de Justiça do Pará sob o número 0003416-48.2015.8.14.0401, Cleber informa à juíza responsável, Heloisa Helena da Silva Gato, que não possui nenhum bem e que como comprovaria sua declaração de renda só recebia um salário de assessor da Secretaria de Estado de Saúde à época. Ele também confirma que negociava madeira, mas que recebia apenas comissões. Só que além da fazenda, Cleber é proprietário também da empresa Açai 812 Indústria e Comércio Ltda. 

Cleber Eduardo de Lima Ferreira também respondeu a processos por estelionato, violência doméstica e emissão de cheques sem fundos, todos arquivados e teve uma empresa de carvão, de sua propriedade, fechada pela Semas em 2010, em Rondon do Pará, por ser uma empresa apenas de fachada. 

Informações DOL