Sávio Barbosa - SEAP assina protocolo para instalar fábrica de perfis de alumínio no complexo de Santa Izabel.

Categorias

Mais Lidas

SEAP assina protocolo para instalar fábrica de perfis de alumínio no complexo de Santa Izabel.

O Governo do Estado, representado pelas Secretarias de Administração Penitenciária (Seap), de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (SEDEME), e pelaCompanhia de Desenvolvimento Econômico do Pará (CODEC), assinaram nesta terça-feira (14), em Santa Catarina, o Protocolo de Intenções para instalar as Plantas Fabris em Barcarena e no Complexo Penitenciário de Santa Izabel, que irão verticalizar a produção de alumínio no Estado do Pará, gerando mais de 360 postos de trabalho diretos, com investimento acima de 100 milhões de reais.

A assinatura foi feita pelos secretários Jarbas Vasconcelos, da Seap, José Fernando de Mendonça Gomes Junior, da SEDEME, Lutfala Bitar, da CODEC, e pelos representantes da Indústria Brasileira de Alumínio, do Grupo Ibrap – Alumínio e Plásticos, e da HYDRO, em reunião na sede da empresa, em Urussanga (SC), dando seguimento às tratativas e assinaturas de documentos para o projeto.

O secretário Jarbas Vasconcelos, juntamente com o Diretor de Reinserção Social da Seap, Belchior Machado, e os outros representantes do Estado e das empresas também visitaram a fábrica do Grupo IBRAP em Urussunga (SC) e conheceram a fábrica instalada dentro do Presídio SUL, em Criciúma, que servirá de modelo para a fábrica que será instalada na Colônia Penal Agrícola de Santa Izabel (CPASI).

A viagem teve o objetivo de fortalecer o conhecimento do trabalho prestado pela empresa na produção de perfis e esquadrias de alumínio para, então, seguir à implementação, em 2022, da produção de perfis de alumínio, em uma fábrica no Complexo de Santa Izabel, e de tarugos, em Barcarena, no Pará. Durante a ocasião, os representantes das pastas do Governo e das instituições se reuniram e deram seguimento às tratativas para finalizar a discussão de investimentos – que tem como proposta fortalecer a economia da região e gerar empregos para a mão-de-obra local. O previsto é que as instalações cheguem a mais de 100 milhões de reais e colaborem para a criação de cerca de 360 empregos.

O protocolo assinado entre as parceiras visa verticalizar a produção de alumínio no estado do Pará e contribuir para o crescimento econômico, a geração de emprego e renda.

Por Jorge Herbert/ Ascom SEAP