Sávio Barbosa - A montanha que pariu o rato e a cachorrada.

Categorias

Mais Lidas

A montanha que pariu o rato e a cachorrada.

A cachorrada resolveu latir, afinal tem eleição ano que vem e é preciso atacar o governador, que cortou a boquinha que uns e outros tinham no governo Jatene

Hoje, um blogueiro resolveu publicar diálogos vazados ilegalmente entre o governador e o empresário que tentou dar o golpe dos respiradores no Pará. Como até a Isabela Jatene sabe, o que adiantado pelo estado para compra dos respiradores foi devolvido.

Como até o deputado Peruquinha sabe, se o Governo Federal tivesse enviado respiradores (na época Bozo dizia que a pandemia seria só uma gripezinha), o governo do Estado não precisaria sair correndo atrás do equipamento. Mas, voltemos aos diálogos. O blogueiro saiu do colete do Jatene para anunciar com pompa e circunstância que tinha uma bomba, uma verdadeira montanha contra o governador.

Os diálogos que a imprensa não publicou. Mas por que será que não publicou? É porque a montanha pariu um rato. Senão, vejamos. Primeiro sustenta a tese de que Helder é amigo do empresário, já que Helder diz nas conversas de zap “oi amigo”. Como se isso não fosse uma força de expressão, que muita gente usa. Aí ele se esforça dizendo que o tal empresário afirmou conhecer Helder há dez anos. Como se conhecer fosse ser amigo. As conversas pelo zap revelam apenas contatos de trabalho.

O que o diálogo traz (deve ter sido vazado ilegalmente por não sei que ex-procurador) é apenas um monte de idas e vindas do tal empresário, que é suplente de um senador do Distrito Federal, querendo marcar conversas políticas e encontros com Helder, na condição de político. A maioria das respostas de Helder é curta e grossa. Várias vezes, segundo o próprio blogueiro, Helder nem responde.

Depois este empresário se apresentou ao governador como uma solução possível para fornecer os respiradores que o mundo todo corria atrás – menos o presidente que preferia desdenhar dos mortos. O resto é história. Helder se viu obrigado a tentar comprar, os caras não entregaram, Helder cobrou o dinheiro de volta e processa a turma na justiça por danos morais coletivos ao povo do Pará. Coisa que o blogueiro lá jamais vai publicar. Prefere ficar latindo. Enquanto isso, a caravana do governador passa.