Sávio Barbosa - Prefeitura de Belém homenageia profissionais de saúde e voluntários da campanha de vacinação contra a Covid-19.

Categorias

Mais Lidas

Prefeitura de Belém homenageia profissionais de saúde e voluntários da campanha de vacinação contra a Covid-19.

Doação, amor ao próximo e resiliência. Esses sentimentos acompanharam os profissionais de saúde, que trabalharam incansavelmente na linha de frente do combate à covid-19 em Belém. Foram mais de cinco mil trabalhadores que dedicaram-se à campanha de imunização Belém Vacinada. Destes, cerca de mil eram voluntários, entre enfermeiros, médicos e estudantes, que se revezaram, diariamente, nos mais de 25 postos de vacinação montados pela Secretaria Municipal de Saúde (Sesma), em vários bairros da capital paraense. 

A jornada corrida e a rotina cansativa não desmotivaram esses profissionais, mesmo que aqueles que enfrentaram perdas de entes queridos em meio à pandemia. A enfermeira Rosilene Gomes, 48 anos, que trabalha há mais de 20 anos no município, relata que a força divina e a lembrança do pai, falecido em decorrência da covid-19 em outubro de 2020, a ajudaram a continuar na campanha.

“Eu perdi meu pai e não tive a oportunidade de imunizá-lo. Então, um dia, chegou um senhor com todo o biotipo do meu pai, para eu vacinar. E não sei se isso foi um presente de Deus. Nesse dia, eu não consegui conter minha emoção, com aquele senhor na minha frente, pois ele parecia demais com o meu pai”, lembrou a enfermeira, em meio às lágrimas. 

Ela foi uma das profissionais de saúde homenageadas com a placa de reconhecimento ao serviço prestado na primeira fase da Campanha Municipal de Vacinação Contra a Covid-19, realizada entre 19 de janeiro e 12 de novembro de 2021.

A cerimônia de encerramento da campanha ocorreu nesta quarta-feira, 17, no Ginásio Mangueirinho, localizado na avenida Augusto Montenegro. O evento reuniu cerca de mil servidores da saúde, voluntários, autoridades e representantes de instituições que colaboraram com o trabalho de imunização na cidade.

Muitos profissionais chegaram animados, cantando e dançando, ao som da banda de música da Guarda Municipal de Belém (GBM). A estudante do 3° período do curso de enfermagem, Daniele Ferreira Moraes, 21 anos, estava feliz, após encontrar o nome dela no quadro de homenagens, onde estavam os nomes de todos os profissionais que trabalharam na Belém Vacinada.

“Participar da campanha foi um desafio. Porque nós, enquanto estudantes, não conseguimos enxergar o que é estar no hospital. E chegar aqui, lidar com o público, foi um desafio enorme, mas, graças a Deus, eu consegui, e graças, também, ao apoio de toda equipe”, agradeceu.

Ao ser questionada sobre o momento mais marcante, ao longo dos oito meses em que foi voluntária, Daniele lembrou de um senhor que foi se vacinar, mas estava marcado para o mês seguinte. “Decepcionado, ele começou a chorar e disse que as pessoas não valorizavam a vacina. Ele contou que, no próximo mês, a mãe completaria um ano de falecida por causa de complicações da covid-19. Nesse dia, eu chorei também e tive certeza de que era essa profissão que eu queria para minha vida”, contou emocionada.

Homenagem – A Prefeitura de Belém, por meio da Sesma, homenageou três pessoas que simbolizaram os cinco mil profissionais de saúde. A servidora Jurema Araújo e a enfermeira Maria de Nazaré Ataíde representaram os servidores da Sesma. O estudante do 6° período do curso de enfermagem da Universidade Federal do Pará (UFPA), Douglas do Nascimento Galvão, de 20 anos, representou os voluntários.

“É muito gratificante participar da campanha, pois todos nós entramos com a missão de conseguir vacinar as pessoas. Eu sempre achei que eu iria ajudar na campanha, mas foi a campanha que me ajudou, tanto na minha vida profissional quanto pessoal”, disse o universitário Douglas. Ele falou, ainda, que a campanha não tem como ser explicada, apenas vivenciada. “Apesar dos entraves, hoje o sentimento é de dever cumprido”.

Durante o evento, houve um minuto de silêncio em respeito às mais de cinco mil pessoas que faleceram em decorrência da covid-19 em Belém.

“Foram tantas pessoas que ajudaram, para que a gente conseguisse chegar a esse resultado, que é de hoje estarmos, praticamente, com quase 90% da população imunizada com uma dose e 80% da população imunizada com as duas doses da vacina”, comemorou o secretário municipal de Saúde, Maurício Bezerra. “Esse dia, além de ser dedicado a homenagear esses profissionais, é também o momento para conclamar a população a continuar o processo de vacinação em 52 unidades de saúde”, disse Maurício Bezerra. 

A vacinação continua – Para as pessoas que ainda não se vacinaram, as doses estão disponíveis em 29 Unidades Básicas de Saúde (UBS), 21 Unidades de Estratégia da Saúde da Família (USF) da capital e distritos, e nos shoppings Boulevard e Bosque Grão Pará. “Quem ainda não tomou a primeira ou a segunda dose e já pode tomar a terceira dose, nós conclamamos que compareçam às unidades, pois estaremos prontos e preparados para atender, de segunda a sexta-feira”, explicou o secretário.

Recuperado – O prefeito de Belém, Edmilson Rodrigues, compareceu à homenagem. Foi o primeiro evento público do qual ele participou, após se recuperar da covid-19. O prefeito agradeceu aos profissionais pelos serviços prestados. “A placa de homenagem será um documento, que registra a importância desse momento histórico, feito por quem acreditou na vacina e também pelo povo que produziu servidores dedicados à vida e que, por isso, merecem ser homenageados”, enfatizou.

Belém Vacinada – De acordo com a Sesma, durante a campanha foram vacinadas com a primeira dose 1.139.598 pessoas, correspondendo a 75,6% da população do município de Belém, calculada em 1.506.420 pessoas, e a 88,6% da população vacinável, estimada em 1.285.716 (pessoas com 12 anos ou mais). Já com as duas doses foram imunizadas 1.035.503 pessoas, o que representa 68,7% da população total e a 80,5% da população vacinável. No mesmo período, receberam a terceira dose 182.632 pessoas, correspondendo a 73,2% do público-alvo que deve receber o reforço vacinal, que são idosos, imunossuprimidos e profissionais de saúde.

A cerimônia se encerrou com uma apresentação emocionante do cantor Nilson Chaves, que também foi vítima da covid-19. Em novembro do ano passado, o artista paraense foi internado na UTI da Santa Casa, em Belém, onde passou 14 dias. Ele chegou a ser intubado e sedado e ficou dependendo de ventilação mecânica, para ajudar na respiração, pois teve mais de 70% do pulmão comprometido pelo novo coronavírus.

Informações Agência Belém | Fotos: Márcio Ferreira